Skip to main content
oncocercose

Oncocercose

Detectada no Brasil em 1967, a Oncocercose é provocada pelo parasita Onchocerca volvulus, através do mosquito Simulium spp., também conhecido como “Pium” ou “Borrachudo”.

A doença pode ser chamada também, eu seus nomes mais populares, de “cegueira dos rios” ou “mal do garimpeiro”.

Causas da Oncocercose

Caracteriza-se pelo aparecimento de nódulos, após a picada do mosquito hospedeiro, localizados sob a pele em qualquer parte do corpo e, são neles que o parasita se aloja.

Para saber quais as conseqüências desses nódulos e o que a Oncocercose é capaz de fazer no corpo humano, confira a seguir:

Oncocercose: quais as danos que essa doença pode causar?

Apesar de não levar o paciente à morte, ela pode causar cegueira se não tratada.

Os nódulos causados, são indolores e móveis, mas, quando começam a se tornar perceptíveis, quer dizer que o parasita atingiu o estágio adulto e os danos a pessoa podem começar a se tornar mais graves.

Sintomas da Oncocercose

Geralmente, os gânglios com tamanhos maiores podem vir acompanhados de:

  • Coceira intensa;
  • Perda da elasticidade da pele;
  • Perda da pigmentação;
  • Elefantíase.

Os parasitas têm ainda o poder de se multiplicar dentro do corpo do hospedeiro, o que pode ser causado pela migração dos parasitas machos, de nódulo para nódulo, fecundando as fêmeas.

Esse movimento pode gerar milhares de larvas dentro do corpo, que podem receber o nome de microfilárias.

oncocercose tratamento

As larvas podem ter diferentes destinos dentro do hospedeiro. Elas se locomovem, podendo entrar na corrente sanguínea, serem liberadas pelas lagrimas, urina, saliva e, até acabar morrendo devido ao trabalho do sistema imunológico.

Mas, a partir de um ano que costumam aparecer os sintomas clínicos, os nódulos. Quando os parasitas começam a produzir as microfilárias, significa que a doença tomou uma proporção mais séria.

O corpo ainda pode reagir a essa doença, tentando combater as larvas de algumas maneiras, causando uma pequena erupção passageira da pele, afim de liberar os parasitas e retira-los da parte subcutânea.

Porém, caso o sistema imunológico não seja suficiente para expulsar os parasitas, eles podem se espalhar pelo corpo, chegando até a região ocular.

Ao entrar em contato com o globo ocular, as microfilácias podem gerar um acumulo de fibrose na região, levando a uma leve conjuntivite fotofobia e, algumas vezes, pode progredir até resultar na cegueira dos dois olhos, principal sintoma da Oncocercose.

Como prevenir a Oncocercose?

Infelizmente não existe nenhuma vacina para sua prevenção, porém sabe-se que os lugares de maior contaminação estão concentrados no Parque Indígena Yanomami, no norte do pais, abrangendo os estados do Amazonas e Roraima.

Um meio de se proteger é usando roupas que cubram a maior parte do corpo ao entrar nas áreas de risco, juntamente com o uso de repelente de insetos, podendo ser considerado o melhor meio para prevenção contra o ataque.

Como se dá o diagnostico da Oncocercose e quais atitudes devem ser tomadas?

oncocercose fotos

Por seus sintomas só aparecerem a partir do surgimento dos nódulos, geralmente o paciente procura o medico tardiamente.

Como os sinais são aparentes, o primeiro exame é físico, atestando o aparecimento e medindo o tamanho dos gânglios.

Também é importante relatar ao medico o historio epidemiológico e os lugares visitados nos últimos meses, para que se tenha uma idéia melhor de diagnostico.

A doença é atestada através da verificação da presença dos vermes adultos, fazendo uma analise do nódulo. E, pode ser feito também uma analise laboratorial da urina, por exemplo.

Tratamento da Oncocercose

O tratamento mais eficaz para a Oncocercose é a retirada cirúrgica dos nódulos, evitando que as microfilácias migrem pelo corpo.

Porém, pode ser administrada também com o uso de ivermectina, mesmo que esse meio não tenha tanta eficácia comprovada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *